terça-feira, 1 de maio de 2012

(primeiro de maio)


é que um navio boiava na água acumulada de uma barragem, abriram as comportas, pés enormes, muito maiores do que os homens, empurraram-no aos pontapés na enxurrada. a embarcação arrebenta! cascos, madeiras, despedaçados!, já há água pelas gargantas, mas virão salvadores, os afogados que retiram dos vivos o ar. dizem que a coisa mais difícil de discernir num naufrágio é quem é poço, quem é lodo, quem é estrume. a aparente calmaria do dia de amanhã também será um sinal, do dilúvio.

2 comentários:

wanessa queiroz disse...

belíssimo.

júlia disse...

:)
acho que é mais triste do que bonito.

 

Free Blog Counter