sábado, 30 de julho de 2011

gratuita

e este país que tem me criado uma tímida? - lembro da criança que eu era, sempre atrás das pernas dos meus pais ou do meu irmão, queria pedir desculpas por existir. 

hoje tanta coisa é só um ENTER, e adeus timidez, barquinhos dos des-acontecidos. eu quero a guarda costeira a me dizer adeus de boas-sortes, que trago em mim o farol dessa euforia sem motivo, dessa euforia ainda tão tímida, por este verão incendiada de sem porquê esta felicidade, onde o medo é pra ser instinto só, puro de ser uma sombra que acompanha o cuidado, e só, que

esta felicidade vai tomar banho para o casamento

2 comentários:

O Impenetrável disse...

uma delícia ler o seu blog, está encantando minha manhã de domingo. quero passar aqui sempre, vi muita inspiração e adorei.

abraço.

júlia disse...

:) obrigada, e é bom receber um comentário assim numa tarde de domingo!

beijo

 

Free Blog Counter